domingo, 3 de abril de 2016

CIGARRO - O PIOR DE TODOS OS VÍCIOS - DESAFIO DOIS

Nos últimos dias eu consegui provar que é muito fácil perder peso de uma forma saudável, se alimentando bem e mantendo a normalidade da vida. Consegui sair da casa dos 92 quilos e hoje estou na casa dos 86. Sei que parece pouco, mas tente colocar um peso de 3 quilos em cada perna e ande por 20 minutos. Verá a diferença que sinto hoje em meu corpo. Para isto é necessário ter três coisas: (i) Determinação (ii) Força de Vontade (iii) Controle. E acredite, não é fácil passar em frente da lanchonete que você sempre parou e comeu aquela coxinha com catupiry deliciosa e apenas olhar, sentir o gosto em sua mente e não parar. Não é fácil chegar em um restaurante e ir direto para as saladas e folhas, desprezando batata frita, aquele churrasco no ponto, lasanha, escondidinho e tudo mais. As vezes me pergunto se tudo isto vale realmente a pena, pois posso morrer amanhã, ou hoje a noite, quem é que sabe ou pode prever como ou quando será o seu último dia? Para que sentir tanta vontade de comer aquilo que gosto e a mim hoje, é proibido? É isto que chamamos de controle. A determinação é comprar apenas aquilo que está dentro da sua programação para não cair em tentações que você mais do que ninguém, sabe que não irá conseguir resistir. Já a Força de Vontade, é se manter firme quando todos os demais apenas torcem para você simplesmente desistir e ficar ainda mais gordo e doente. E isto eu determino com "fazer e ser parte do sistema" como um todo. 


Eu sou viciado em Cigarros como tantos e tantos Brasileiros. Fumo a exatos 24 anos e sei que isto irá me matar e que na verdade eu serei o único responsável por isto. Não que eu seja aquele fumante compulsório, não e isto. No geral, costumo fumar um, dois e no máximo três cigarros por dia. Alguns dias não fumo nenhum. Também já fiquei semanas sem colocar um único cigarro em minha boca e quando meu filho nasceu fiquei uns dois anos sem fumar, se não me engano. Até os 18 anos meu filho se quer sabia que eu fumava, pois nunca o deixei me ver fazendo o que acreditava ser "errado". Acredito que nunca tinha me dito isto antes, que eu sou um viciado em nicotina. E o NZT100 nos faz sentir, nos faz ver aquilo que realmente somos, ele nos vira do aviso e revela o nosso próprio "eu". De forma alguma qualquer pessoa que seja irá tomar uma dose do NZT100 e vai se curar de qualquer vício, seja ele qual for. Por este motivo, não se iluda. Como emagrecer é tão difícil, acredito que largar este vício será ainda mais complicado e terei que colocar todos os meus sentidos à prova. Será ainda mais difícil.


São exatas 00:11h e já é tão tarde que nem sei mais o que estou fazendo acordado enquanto todos dormem. Mas este é o caminho que escolhi. Deixar algo que sirva de exemplo, de objetivo, de incentivo a qualquer pessoa. Por que se esta matéria, algum dia, incentivar uma única mulher ou um único homem que seja a largar este terrível vício, que na minha opinião, é o pior de todos, pior até mesmo que heroína ou qualquer outra droga, estes minutos perdidos terão valido a pena com total certeza. Pois no final das contas, para que nos matarmos, sendo que podemos "viver". E lembre-se: quando colocar um cigarro em sua boca, veja esta imagem:


Acredito que não precise dizer mais nada, certamente. Eu comecei a fumar com 15 anos de idade. Estava na casa de uma amiga da minha mãe que tinha 3 lindas filhas. Uma se chamava "Preta", a outra "Bianca" e ainda tinha de "Lilica". Eu gostava da Bianca, a mais linda de todas. Já nos beijamos várias vezes, mas nada mais sério que isto. No entanto, com o Preta sempre foi um pouco mais intenso, mais gostoso. Me lembro que estávamos assistindo ao filme "Lagoa Azul" e ficamos sozinhos na casa dela, onde estava passando uns dias. Eu não sabia muito bem o que estávamos fazendo, mas transamos naquela noite. Eu a toquei por todo o corpo, a beijei e ela tocava o meu. Foi bom, até mesmo poético e tenho certeza que ela se lembra muito bem disto. Mas o que importa, é que em um belo dia estávamos eu, meu irmão, a Preta, a Bianca e a Lilica na casa delas, novamente. A Preta queria fumar e fui junto com meu irmão, comprar o maldito cigarro para elas. Chegando lá, elas mais velhas, logicamente, perguntaram se eu já tinha fumado. Respondi que não. Então elas começaram a me passar a fumaça pela suas bocas tentadoramente deliciosas, uma, depois a outra. Nós colávamos os lábios, um ao outro e passávamos a fumaça. O resultado, foi que não parei mais enquanto meu irmão, nunca mais fumou. E depois veio a "pistoleira" como minha mão a chamava, uma super gata que me deu muito, mas muito, imensamente muito prazer. Ela fumava e então, nós dois fumávamos bastante. Acho que foi neste ponto de minha vida, que realmente me viciei no maldito cigarro. Aqui tem um ponto que gostaria de registrar. Quando a conheci, a "pistoleira" eu tinha acabado de terminar com minha EX, aquela que levei até o altar e não respeitou seus votos sagrados. Eu cheguei no Parque de Exposições em um domingo qualquer, bem mais cedo e os portões estavam fechados. Mas ela estava lá, então trocamos vários olhares e como nunca gostei muito de esperar, rapidamente já estávamos conversando. Os portões se abriram e bebemos tanto naquela noite, que passei perto do irmão, da irmã e talvez da minha própria EX de mãos dados e aos beijos com ela. No final da noite, por volta das 4 horas da madrugada, a levando para casa e ela me disse dentro do carro preto, que gostaria de fumar mais um cigarro. Imediatamente fomos comprar e terminamos na minha cama, na cama que um dois antes tinha feito amor com minha mulher. Só que estava tão tonto, mas tão tonto que não aconteceu nada, não consegui fazer nada por mais que tentasse. Dormimos e no outro dia a levei até a esquina de sua casa. Mas ela proposicionalmente ou não, deixou seu relógio em minha cama. Então, alguns dias depois fui a entregar, pois me lembrava perfeitamente do local aonde ela trabalhava. Marcamos no sábado e a levei para um restaurante. Porém, neste dia, só tomei água. Logo retornamos para a cena do crime, a cena da minha vergonha e fracasso eminente como homem. Só que desta vez, eu tinha já tinha preparado tudo. Chantily, morangos, champanhe, gelo, absolutamente tudo. Quando eu tirei a roupa dela, me lembro perfeitamente dela dizendo estas palavras em suspiros: "não, por favor, não faz isto comigo, por favor". Só que suas palavras confrontavam diretamente seus desejas, me apertando entre suas pernas, enquanto eu a tomava como propriedade minha. E ela foi, durante quase um ano. Pois eu a amei nem sei por quanto tempo nem por quantas vezes naquela noite. Só me lembro de comer o morango em sua boca, de beber champanhe entre seus seios, de percorrer com o gelo em meus lábios toda a extensão da pele em seu ventre, de a deixar completamente louca. E como resultado, depois disto, eu a buscava todos os dias em sua casa para trabalhar, só que 30 minutos antes. Apenas para dar uma passada na minha casa, onde repetíamos aquele ato insano de loucura e prazer. E como aquilo era bom.


Eu vou encarar este desafio. 120 horas sem colocar um único cigarro na Boca. Fumar um cigarro e ficar 120 dias sem colocar outro cigarro na boca. Você topa? Quer acompanhar a minha jornada durante este super desafio? Pois aqui irei relatar tudo que eu sentir. Se conseguir, ou se não conseguir, irei relatar mesmo assim. Irei contar e registrar absolutamente tudo aqui nesta matéria que será épica. E lembre-se: DeterminaçãoForça de Vontade e Controle. Se tiver estes três elementos, você pode fazer tudo que desejar em sua vida, até mesmo "parar de fumar".



Primeiro dia sem fumar: gostaria de registrar que não estou utilizando qualquer medicamento que seja. Também gostaria de registrar que sinceramente não sei se vou conseguir cumprir este desafio. No primeiro dia foi muito complicado mas consegui ficar sem colocar um único cigarro que seja na boca. Também me levei ao extremo, pois saí para comer uma Tilápia e tomei três copos de cerveja. Geralmente quando bebe eu sempre fumo também. Como eu sempre afirmo: ninguém nunca disse que viver seria fácil ou justo. No meu caso ainda é bem mais complexo, pois nunca fumei um único cigarro que seja sem colocar uma bala macia na boca ou um pedaço de chocolate. Isto por que nunca suportei o gosto do cigarro, eu acho. Então tenho que acabar com dois vícios de uma só vez. O primeiro dia foi realmente complicado e quase não consegui resistir. Mas como sou fiel ao que me proponho, estou no controle e não irei permitir que qualquer vício que seja, venha a ser maior do que eu mesmo. Agora é me manter firme no segundo dia que com muito sacrifício, também será vencido.  



O Segundo dia se passou e já estou caminhando no Terceiro Dia. O problema é a ansiedade que me dá por saber que não posso mais fumar, ou por permanecer privado da nicotina. Somente no dia de ontem ganhei 500 gramas em meu peso pois comi mais vezes durante o dia do que estava acostumado. Também minha esposa fez aquele pãozinho de cebola recheado que arrebenta com o regime de qualquer pessoa. Em relação ao cigarro propriamente dito, não senti muita vontade ontem, apenas estou preocupado com o ganho de peso. Pois se não conseguir controlar a ansiedade, ficará complicado. Pois já tinha me acostumado à rotina como um todo



O Terceiro dia. Hum! Não foi nada bom eu acho. Eu já não sei o que é pior, se é fumar ou engordar. Pois mesmo sem fumar muito, já estava acostumado a fumar o primeiro cigarro do dia por volta das 14 horas e for volta das 18 horas o último do dia. Me programava desta forma. E o simples fato de saber que não posso mais fazer isto, está me fazendo comer no mínimo 30% a mais do que eu comeria em uma situação normal. Mesmo assim, irei me manter firme nestas primeiras 120 horas. Mesmo não gostando e mesmo sendo muito difícil controlar esta vontade absurda de fumar. Também não mudei minha rotina, como por exemplo: aos sábados sempre vou voar. E antes do primeiro voo é uma regra fumar um cigarro para relaxar. Neste sábado, não fumei.



Agora acredito que já estou me acostumando. Pelo menos com mais ou menos 98 horas sem colocar um único cigarro que seja na boca, já não sinto mais tanta vontade e nem estou tão ansioso pela privação do vício, eu acho. A primeira etapa está quase chegando ao fim. Claro que estou comendo um pouco mais do que o normal, e por este motivo, a balança está sendo ingrata comigo nestes últimos dias, pois saí da casa dos 86 que já havia me acostumado. Mesmo assim, estou levando aparentemente melhor do que eu esperava. No primeiro dia, realmente acreditei que não iria conseguir de forma alguma. E cheguei até mesmo a pensar em desistir, me dizendo assim: quem é que vai saber se eu fumar um único cigarro que seja. A verdade é que eu saberia, e se não conseguir ser honesto comigo mesmo, de que adiantaria tudo isto. Mas hoje, acredito ser um pouco diferente. Tenho a impressão que vou direto para os 120 dias sem colocar um único cigarro que seja em minha boca 
 

Bom dia a todos, são mas de meio dia, portanto já do sexto dia sem colocar um único cigarro em minha boca e tendo uma vida absolutamente normal. Não deixei de fazer absolutamente nada, saí e tomei minha cervejinha, pilotei normalmente, pratiquei esportes ainda melhor, fui para o aeroclube e fiz mais de 30 voos com meus aeromodelos, quebrei novamente um deles ao tentar aterrizar contra o vento passando por um pequeno duto fluvial que o travou, concertei ele novamente, trabalhei muito, programei muito, quebrei muito a cabeça com novos projetos, enfim. Não mudei nada em minha vida. Aquela vontade passou com umas 90 horas eu acho, a de fumar. E desta forma irei me manter firme, rumo agora aos 120 dias. Também não irei fumar aquele último cigarrinho não, pois não gostaria de sentir aquele gosto horrível em minha boca, muito menos chegar perto da minha filha linda com aquele cheiro ridículo de cigarro. Somente depois que paramos, percebemos isto. 



Bom, 12 dias já se passaram e continuei firme em meus votos de abstinência total da nicotina. No início não foi muito fácil e nem um pouco divertido. Sinceramente achei que não iria conseguir. Mas depois da primeira semana ficou melhor, bem melhor. Hoje, nem penso mais na falta que o cigarro está me fazendo. Também a ansiedade não existe mais. O que sei de verdade é que nada nos é dado de graça e que para vivermos bem, temos realmente que fazer a nossa parte e muito bem feita por sinal. E se eu desistir, como irei poder ajudar a outras pessoas que também tem este problema? É esta pergunta que me faço todos os dias em que penso em pegar o cigarro, o acender e o colocar mais uma vez em minha boca. É um dia após o outro.



O primeiro grande objetivo, acredito que tenha vencido com sucesso e louvor. Pois já estou a 30 dias sem colocar um único cigarro que seja em minha boca. Não vou mentir que foi fácil, pois não foi. Acredito que tenha sido a coisa mais difícil que já tenha feito em minha vida. Pois mesmo não fumando muito, estava acostumado e habituado a fumar meus cigarrinhos diariamente. O que importa, é que com certeza, se você tiver coragem e força de vontade, parar de fumar e relativamente fácil, pois a partir do 15º dia, sinceramente, você nem se lembra mais do gosto do cigarro. Mas até chegar lá confesso não ser tão fácil assim. O importante é que depois de 15 dias, fica bem mais fácil. No entanto é realmente uma luta diária e constante. Espero que muitas pessoas, como eu, parem de fumar. Pois é uma coisa muito ruim e que incomoda profundamente quem não fuma. Hoje, tenho nojo e asco do cigarro. E olha que se passou apenas 30 dias.



Já se passaram 60 dias e só tenho a agradecer por em fim, ter criado coragem para largar este vício ridículo. Vamos fortes para os 90 dias sem colocar um único cigarro em minha boca. Nos dias de hoje, respiro melhor e me sinto muito mais bem disposto, em todos os sentidos. Mesmo assim, não é fácil, acreditem. Precisa se ter foco, concentração e muita força de vontade.